#2 - Quantidade versus qualidade

Dando continuidade à nossa lista de inexperiência vamos falar de quantidade x qualidade. É comum que o profissional ao sair da faculdade esteja ávido por mostrar serviço e mostrar a que veio, fazendo valer aqueles quatro anos no Campus. Algumas pessoas pegam seus tabalhos da faculdades. Outros saem caçando de tudo um pouco e transformando seus portifólios em exemplares das páginas amarelas.  É o dilema da quantidade x qualidade mostrando que não basta se comunicar, é preciso saber como.

Se por um lado alguns acham que a quantidade demonstra que o profissional é "rodado", com seus muitos anos de estrada e "experiência", por outro esse volume acaba não apresentando muito do que ele é capaz. Ou ainda, em muitos casos, depõe contra quando trabalhos de baixa qualidade fazem volume no portifólio. Outros ainda fazem questão de deixar trabalhos não tão bons, ou que não o satisfizeram, só porque era um grande cliente, acreditando que o tamanho de quem você atende funciona como uma lente de aumento para si.

Normalmente quando falamos de forma geral tendemos a nos excluir dos exemplos. No entanto, nesse caso em especial, me recordo de um momento - e não faz muito tempo - em que ouvi de uma amiga que analisava meu antigo sitefólio "nossa, você tem muitos trabalhos", quando na verdade eu queria ouvir "nossa, mas você tem belos trabalhos". No mesmo dia o crivo dos trabalhos mudou.

Antes de divulgar o que você já fez pense no que você quer mostrar de verdade. Que trabalhos foram eficazes, quais te dão orgulho em apresentar, os mais eficazes etc. O pente tem que ser bem fino e o resultado vai ser surpreendente. Enfim, trate o seu portfólio como você se trata para balada. Afinal, ninguém vai querer ficar contigo só porque você já ficou com muita gente... : )

2 comentários:

CLOVES disse...

Isso é muito pertinente. Aqui na agência quando da seleção de um profissional e/ou estagiário o que me interessa é a qualidade do trabalho, não a quantidade.
Recebo alguns portfólios enormes mas sem conteúdo, pobres. Quem conhece sabe do potencial do entrevistado mesmo com poucas peças. Portanto, como diria o poeta: "me desculpem os feios, mas conteúdo é fundamental".

Daniel9D disse...

O que interessa são os trabalhos EXEMPLARES! Ocupar espaço com os trabalhos "puta vida" é foda... rs.

Postar um comentário