Clientes educados = mais clientes

Texto que a minha pessoa* achou bacaninha, de Brian Hoff, designer independente residente na Filadélfia, escrito em inglês e traduzido livre e loucamente por mim =). A versão original está no blog dele, aqui.

Frequentemente recebo e-mails dizendo algo do tipo "Por que você divulga suas idéias no blog?" Ou "Como é que um blog de design vai atrair clientes?"
Resposta fácil: clientes educados = clientes satisfeitos, e quando os clientes estão felizes, a sua empresa está ainda mais feliz. Há duas razões para eu ter começado o Cubicle Design: em primeiro lugar, para ajudar e inspirar outros designers; segundo, para difundir a educação e sensibilização em design para aqueles que procuram contratar profissionais de design.
A questão agora é: como podemos educar os clientes para ajudá-los a compreender melhor o que fazemos como designers gráficos? Ninguém vai gastar milhares de dólares com algo que simplesmente não entende - você tem que educá-los do início ao fim. Veja como: 

Comece um blog
Todo mundo diz para você começar um blog, mas ninguém sabe porquê. Pare de postar coisas do tipo "5.000 sites com a cor amarela" e comece a  compartilhar idéias e informações pessoais sobre a forma como você trabalha. Claro, é legal postar alguns recursos, inspiração aqui e ali, mas é bom alterná-los com opiniões pessoais.
Os clientes que não nunca trabalharam com você querem saber como você trabalha, assim o blog pode ser um grande começo para fornecer alguma inserção em seus processos. 

Defina o tom
Clientes que entram em contacto com o meu site normalmente começam preenchendo um dos questionários de projeto. Após a leitura de suas respostas, entro em contato por telefone, e essa conversa dura cerca de uma hora.
Use esse tempo não só para aprender sobre eles e os seus projetos, mas também para compartilhar informações sobre você. Diga-lhes como você trabalha e, mais importante, porque você faz as coisas que você faz. Não tenha medo de dizer "escuta, eu sei que você quer que seu logotipo expresse que você é uma das empresas Top 500 da Revista Fortune e que vende eletrônicos para crianças entre as idades de 1-10 anos de idade, mas isso não quer dizer que seja necessário mostrar tudo isso em um ícone. (...) 

Seja claro na proposta / contrato
Primeiramente, se você não estiver usando qualquer tipo de contrato assinado, comece a usar agora. Se você já usa, certifique-se de estar detalhando exatamente o que eles estarão recebendo, quando eles estarão recebendo, o que eles estarão ganhando com seus serviços e o tempo necessário para executar o projeto. Seja específico.
Se for um projeto grande, discriminar os custos também os ajuda a ver em que o dinheiro está sendo investido. 

Deixe-os por dentro do trabalho
Ao mostrar composições iniciais para os clientes, não basta enviá-las e perguntar: "Então o que você acha?" Faça-os entender seu raciocínio quando fez as escolhas que fez. Explique porque você fez o que fez e como isso irá beneficiar o seu cliente. Seja o professor e o designer. 

Use palavras que eles compreendem
Guarde o 'palavreado design' para seus amigos designers. Os clientes querem saber exatamente o que você está fazendo e como isso irá beneficiá-los. Não diga coisas como: "estamos construindo seu site em um CMS". Ao invés disso, diga "Estamos construindo seu site para que seja facilmente atualizado de forma que você seja capaz de fazer alterações e atualizações sozinho". 

Apresente exemplos visuais quando for o caso
Como designers, estamos acostumados a visualizar as coisas em nossas cabeças, mas nem todos estão. Mostre exemplos ou outros recursos visuais quando você puder.
Por exemplo, se você está discutindo um efeito com um cliente, mostre um site que já tenha algo semelhante para que ele possa ver o que você está fazendo. 

Ensine os benefícios
Diga a seus clientes os benefícios e a importância de fazer um logotipo flexível ou por que focar na usabilidade é importante para o seu site e seus visitantes. Como designers, exibimos nosso trabalho muitas vezes por critério de "estar bonito", enquanto para o cliente o importante são os resultados. 

Conclua o trabalho direito
Quando finalizar um trabalho, não basta apenas enviá-lo a para seu cliente. Crie um documento ou pastas bem organizadas que dirão a seu cliente quando usar cada tipo de arquivo.
Lembre-se, ser um designer gráfico independente significa que você tem que fazer todo o trabalho.

Educar seus clientes é uma das muitas tarefas para manter o seu próprio negócio. Quando você ajuda a educar os clientes, você está ajudando não só a comunidade de design, mas também a construir confiança para um relacionamento duradouro com seu cliente. Quando chegar a hora de o cliente a escolher um designer, quem você acha que ele vai procurar primeiro? 

Publicado em segunda-feira, 14 dezembro, 2009


* Opinião pessoal, não representa necessariamente a opinião da turma EDGUfma. Grata!

4 comentários:

GugaSan disse...

** Pode me incluir nesse asterisco.

Roberta disse...

Legal Amanda... Achei bem legal o que você defendeu com a ajuda e palavras do designer Brian Hoff...
Na faculdade de design geralmente temos uma cadeira de psicologia da percepção. A que pude acompanhar na UFMA (desenho industrial - UFMA) foi bem interessante e a professora nos disse: "Vocês, no mercado, não vão lidar somente com projetos gráficos, produtos, papéis, canetas... Vocês vão lidar com pessoas... Vão lidar com casais que pensam diferente mas querem muito um projeto de interiores pra nova casa deles... ou sócios que querem um identidade pra empresa, mas um é conservador demais e outro é completamente radical... Vocês vão ter que aprender a ouvir, entender a situação e saber falar e agir da melhor forma possível... claro, pra não perder o cliente e o trabalho"...
Como designer devemos ter muito cuidado com a apresentação, elaboração do projeto, finalização do material... Isso nos diferencia...
Concordo quando ele diz "Seja o professor e o designer".

Jefferson Nogueira disse...

*************************
Aff, cheguei a pensar que eu era anormal quanto minhas práticas profissionais hehe

Daniel9D disse...

Tive literalmente uma aula do Melchiades (Ag.10), onde ouvi pela primeira vez sobre a expectativa de benefícios... procurei no google sobre e encontrei um trecho falando: "Na forma como tentamos exprimir a evolução da prontidão, num primeiro momento, o de sensibilização, ela pode elevar-se rapidamente pela esperança de crescimento e pela expectativa de benefícios a serem proporcionados pelo projeto que se inicia. Na fase seguinte, à medida que a metodologia do projeto se revela mais claramente a todos, e os beneficiários percebem que benefícios dependerão de elevado grau de esforço (podemos dizer BRANDING), ... "

No texto fala-se que "ser um designer gráfico independente significa que você tem que fazer todo o trabalho."... será que um designer gráfico independente da conta do Branding?... wikipedia fala: "Este trabalho é feito por profissionais e agências especializados em marketing, administração, semiótica e design gráfico, que visam desenvolver positivamente a reputação de marcas, produtos e organizações e alinhá-las com os objetivos organizacionais e o público almejado." http://pt.wikipedia.org/wiki/Branding... existe muita lenha para essa fogueira!

Postar um comentário